Escritor da semana: Airton Ortiz

Confira a entrevista que fizemos com o jornalista e escritor Airton Ortiz, que lançou o livro Londres, na 62 ª Feira do Livro de Porto Alegre.

Airton Ortiz nasceu no interior do município de Rio Pardo, é jornalista especializado em reportagens internacionais sobre a natureza selvagem; criador do gênero Jornalismo de Aventura, sendo, ao mesmo tempo, repórter e protagonista da reportagem. Estreou como escritor profissional em 1999, ao publicar, pela Editora Record, do Rio de Janeiro, o livro Aventura no topo da África.

Airton Ortiz já gravou muitos documentários especiais para a televisão, todos sobre aventuras. Como fotógrafo, tem um acervo com 50 mil fotos da maioria dos países do mundo, especialmente sobre natureza selvagem.

Suas viagens radicais ao redor do planeta aliadas à sua experiência como administrador de empresas o tornaram um dos mais requisitados conferencistas nas áreas de Planejamento e Motivação, prestando consultoria para importantes empresas no Brasil, além de fazer palestras em escolas e feiras do livro por todo o país.

Livraria Espaço Cultural: Como surgiu seu interesse em escrever livro sobre viagem?

Airton Ortiz: Sou jornalista profissional e sempre gostei de viajar, só que pagava pra viajar. Então, cheguei à conclusão que poderia inverter a situação. Fiz a primeira viagem para a África, escalei o monte Kilimanjaro e escrevi um livro sobre isso, que foi muito bem recebido pelos leitores. A partir daí, fui escrevendo outros livros e me desligando das outras atividades que tinha, sendo que hoje me dedico exclusivamente a isso.

Minha rotina é escrever diariamente, das 14h às 19h. Na parte da manhã faço minha leitura, se preciso sair à tarde, escrevo pela manhã.

Livraria Espaço Cultural: Como é o projeto de morar por alguns meses em uma cidade e a partir daí produzir um livro?

Airton Ortiz: Todo ano publico um livro, sobre uma cidade diferente. Viajo no começo do ano e fico morando no local por alguns meses, vivendo da maneira mais próxima de um morador da região. O projeto é ficar sozinho, assim me vejo obrigado a interagir com as pessoas. Esse é o objetivo.

Livraria Espaço Cultural: Fale sobre seu novo livro Londres

Airton Ortiz: Londres é hoje a grande encruzilhada do mundo, o que Nova Iorque vinha sendo até um tempo atrás, antes da neurose que os americanos entraram de serem atacados por terroristas e proibir todo mundo de entrar no país. É mais fácil ir até Londres, e por estar na Europa, perto da Ásia, tem uma influência grande das culturas das populações, que migram para lá. Essas etnias de diversas culturas, criam outra cultura mais forte, moderna, contemporânea, múltipla e miscigenada, que irradia para o mundo todo. Londres cria as novas tendências, Nova Iorque consolida essas tendências e Paris reveste com certo glamour. A partir daí, ela se espalha para o mundo todo em todas as áreas, da música, cultura, cinema, literatura, moda e gastronomia.

Livraria Espaço Cultural: Você já tem programada a sua próxima viagem e consequentemente o próximo livro?

Airton Ortiz: A próxima viagem será para Roma, na Itália, sempre me organizo com antecedência, faço pesquisas na internet, converso com meus amigos que vivem no local, troco informações com outras pessoas, que tenham passada pelo lugar. Porém, é o improviso e os imprevistos, os melhores temperos de uma viagem.

Livraria Espaço Cultural: Como é a sua rotina para a produção do livro?

Airton Ortiz: Escrevo durante a estadia na cidade, faço um diário resumido. Cada dia faço uma pauta, vou num lugar, fico observando as pessoas e conversando. No retorno a Porto Alegre, escrevo as crônicas a partir das anotações que fiz durante a viagem.

Livraria Espaço Cultural: Quais as cidades que você tem interesse em conhecer a escrever sobre elas?

Airton Ortiz: São muitas, mas gostaria de escrever sobre Moscou, Tóquio, Pequim, São Francisco e Los Angeles.

Escolho as cidades que tenham perfis interessantes. Cada uma é diferente da outra. Na aparência elas são iguais, mas na medida em que vamos nos aprofundando e conhecendo as características e diferenças, vamos percebendo que elas vão se diferenciando. Esse é o objetivo do livro, mostrar a alma da cidade e o que ela tem de mais genuíno.

Livraria Espaço Cultural: Você tem alguma cidade preferida?

Airton Ortiz: Cada livro é diferente do outro, as cidades, os lugares e as culturas, assim como as pessoas são extremamente diferentes umas das outras, não tem como comparar a melhor. É importante estar perceptivo para as diferenças, porque é isso que faz a minha permanência na cidade ser legal e a crônica ser interessante para o leitor.

Livraria Espaço Cultural: Você não se sente solitário durante a viagem?

Airton Ortiz: Não me sinto solitário, porque gosto de conversar com as pessoas e os momentos que fico solitário são os necessários. Todo mundo tem que tirar algumas horas para ficar na companhia de si mesmo e quem viaja mais ainda, pois é muito importante se sentir bem na própria companhia.

Livraria Espaço Cultural: Quais seus escritores favoritos e qual livro está lendo atualmente?

Airton Ortiz: Gosto de Ernest Hemingway e de um escritor americano chamado Jack London. Gosto não só da literatura, mas da própria vida deles, que foram uma aventura, e a própria vida já daria um livro.

Atualmente estou relendo Moby Dick, que é o livro mais importante de aventura que já foi escrito até hoje. É uma história maravilha da luta da inteligência humana com o instituto animal.

Livraria Espaço Cultural: Qual a sua opinião sobre a internet, a tecnologia dos e-books e as redes sociais?

Airton Ortiz: Acho ótimo, todos os meus livros tem versão digital e não sei como vivemos tanto tempo sem a internet. Utilizo-a para me comunicar, pesquisar, vender livros e ler. Sinceramente prefiro o livro digital, acho que é mais acessível, mais barato, portátil, sendo que tenho meu leitor digital, onde armazeno mais de mil livros, leio a hora que quiser. O livro digital é ecológico, não gasta matéria prima. Porém, o grande desafio é os escritores saberem escrever para o livro digital, não basta transferir o texto do papel para o digital. O livro tem que ser escrito para a plataforma digital.

Livraria Espaço Cultural: Qual sua opinião sobre a Feira do Livro de Porto Alegre?

Airton Ortiz: A Feira do Livro é maravilhosa e é o que de melhor Porto Alegre tem. Durante a primeira quinzena de novembro, a Praça da Alfândega se torna a sala de visitas da cidade, onde todas as pessoas se encontram, trocam experiências, afetividade e entram em contato com os livros, em busca de novidades.

Livraria Espaço Cultural: Deixe uma mensagem para os leitores da Espaço Cultural

Airton Ortiz: O mundo está em constante ebulição e em transformações contínuas, acabou o mundo estratificado, que o que se aprendia hoje, valia apenas para um ano ou dois. Tudo que você aprende já está obsoleto depois que aprendeu. Estamos num mundo dinâmico e acho isso maravilho!!!, porque pela primeira vez na história da humanidade estamos construindo um mundo onde todas as pessoas estão participando e se ele está um pouco confuso, na verdade ele não é confuso, ele está assim, porque reflete a participação diversificada de todas as pessoas. Nunca vivemos uma época tão maravilhosa de efervescência cultural, onde todo mundo ajuda a construir tudo, nós estamos pela primeira vez na história da humanidade construindo o mundo de forma coletiva e isso é muito poderoso. E o que eu sempre recomendo para todos é: mantenha-se atualizado e procure integrar nesse mundo.