Escritor da semana: Dilan Camargo

Confira em nosso blog, uma entrevista exclusiva com o escritor Dilan Camargo, patrono da 61º Feira do Livro de Porto Alegre.

Dilan Camargo nasceu em Itaqui e passou a infância e juventude em Uruguaiana, na fronteira com a Argentina. Cursou a universidade em Santa Maria. Foi ator de teatro universitário e participou de festivais de música como letrista, o que faz até hoje, tendo dezenas de músicas gravadas por vários intérpretes. Integrou Grupos de Jovens da Diocese de Santa Maria e militei no Movimento Estudantil. Concluiu o curso de Direito na UFSM e o Mestrado em Ciência Política na UFRGS.

Atualmente, vive entre Igrejinha e Porto Alegre. É fundador, primeiro presidente, ex-secretário-geral e sócio da Associação Gaúcha de Escritores. Representou a entidade em Congressos de Escritores no Brasil e Exterior.

Membro do Conselho Estadual de Cultura, eleito pela comunidade cultural em dois mandatos, tendo sido presidente, vice-presidente e secretário-geral do mesmo. Membro da Associação Nacional de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil. Finalista do Prêmio Jabuti de Literatura Infantil 2013 e 2014. Recebeu o Troféu PALAVRA VIVA/ 2012.

Patrono de várias Feiras do Livro em escolas públicas e privadas. Patrono das feiras do livro das cidades de Alegrete, Nova Hartz, Novo Hamburgo, Vila Nova do Sul ,Presidente Lucena, Alvorada. Indicado a patronável da 58ª Feira do Livro de Porto Alegre. Foi patrono da 61º Feira do Livro de Porto Alegre.

Tem participado intensamente em várias feiras do livro em escolas e cidades do RS, proferindo palestras e interagindo com o público leitor. Apresenta o programa Autores e Livros pela TV Assembléia Legislativa, canal 16 NET.

Publica regularmente artigos em jornais de Porto Alegre e do interior do Estado.

Livros publicados:
Poesia

Em mãos- antologia de poesia- Ed.Lume.PoA/RS-1976
Na mesma Voz- Editora Palmares. Santa Maria/RS-1981
Sopro nos Poros – Editora Tchê. PoA/RS- 1985
Rebanho de Pedras – Pref. Municipal PoA/RS-1990 – Coleção Petit Poa
Eu pessoa, pessoa eu- Antologia I e II.Organizador. Edição do Instituto Fernando Pessoa. PoA/RS-1996/1997
Poesia e Cidade- Antologia.Organizador.Edição da Associação Gaúcha de Escritores & Pref.Municipal de PoA/RS-1997
O tempo começa no coração- Antologia. Organizador. Editora Uniprom & InstitutoFernando Pessoa. PoA/RS-1999
A fala de Adão- Editora Mercado Aberto.PoA,/RS-2000
Antologia do Sul – Poetas Contemporâneos do RS – Organizador- Edição Assembléia Legislativa do Estado. PoA/RS – 2001. A mais recente e completa antologia publicada no RGS, com 91 poetas. 2ª edição.
Paz – um vôo possível – Antologia. Editora AGE e Instituto Fernando Pessoa. 2004. Organizador, junto com Izabel Bellini Zielinsky, Armindo Trevisan e Jaime Vaz Brasil.
Coletânea da Poesia Gaúcha do RS – Edição Assembléia Legislativa – PoA/2005. Reúne 88 poetas da poesia crioula e gauchesca do Rio Grande do Sul.
Bem- vindos ao inferno – histórias de amor pelo Internacional – contos – Santa Maria/2012
Em mãos III – antologia de poesia – PoA/ 2012
Coletânea de Poetas Gaúchos Contemporâneos – Edição Assembleia Legislativa – PoA/2013

Infantil – Juvenil
O Embrulho do Getúlio. Editora Mercado Aberto.POA/RS-1989.
O Vampiro Argemiro.Editora Projeto.POA/RS-1993 – Prêmio Henrique Bertaso da Câmara Rio-grandense do Livro.
Poesia Fora da Estante. Antologia de poesia infantil. Organizadoras: Cissa Jacoby, Simone Assunção, Vera Aguiar.Editora Projeto.POA/RS-1995. Prêmio APCA.
Bamboletras. Editora Projeto.POA/RS-1998.
A Galera Tagarela. Editora da UFPF/RS-2003 – esgotado.
O Embrulho do Getúlio. Reeditado pela Editora.Scipione – 2004 (selo altamente recomendável)
BrincRIar – Editora Projeto. 2008 – Prêmio Açorianos de Melhor Livro de Literatura Infantil. 2009. Selecionado para o PNBE/ 2010.
POEPLANO – poesias para o público juvenil. Editora Projeto – PoA/ 2010.
Diário sem data de uma Gata – Editora Cassol – PoA/ 2010.
O man e o brother – contos para o público juvenil – Editora 8INVERSO – PoA/ 2012 – Prêmio Livro do Ano 2013 pela AGEs, na categoria narrativa curta.Selecionado para o PNBE /2014.
Álbum da Fe- Li – Cidade – poesia infantil – Editora Cassol – PoA/ 2012
É Verdade! É mentira! – poesia infantil – Editora 8INVERSO – PoA/2012
Com afeto e alfabeto – poesia infantil – Edelbra Editora – PoA/2012 – Prêmio Livro do Ano 2013 pela AGEs, na categoria literatura infantil. Selecionado para o catálogo de Bolonha. Indicado ao Prêmio Jabuti de Literatura, na categoria infantil/ 2013
Um caramelo amarelo camarada – poesia infantil – Edelbra Editora – PoA/2013 – Indicado ao Prêmio Jabuti de Literatura, na categoria infantil/ 2014
Álbum da Fe- Li- Cidade II – poesia infantil – Editora Cassol/2014
Rimas pra Cima – poesia infantil – Editora Artes&Oficio/ 2014

Teatro
A Casa da Suplicação – Encenada em Porto Alegre com Direção de Carlos Carvalho.
A Oitava Praga – Premiada no Concurso de Dramaturgia da Prefeitura de São José dos Campos – SP
Letras de músicas
Como letrista, tem participado intensamente dos festivais de música nativista e popular no Estado e no país tendo mais de 80 músicas gravadas.

Confira a entrevista:

Livraria Espaço Cultural: Quando você se interessou em se tornar um escritor?

Dilan Camargo: Desde menino sempre tinha algo para ler, revistas, livros, até enciclopédias. Na universidade descobri a grande literatura brasileira e, principalmente, a poesia de Cecília Meireles. Fui amadurecendo e escrevendo cada vez com maior exigência sobre o meu texto literário. Chegou um momento em que eu tinha um livro. Penso que quem gosta muito de livros um dia também deseja escrever o seu.

Livraria Espaço Cultural: No que você se inspira para escrever?

Dilan Camargo: Descobri, muito cedo, que só a inspiração não é suficiente para criar uma obra, em qualquer tipo de arte. Ela é o impulso inicial da imaginação, depois é transpiração mesmo.Trabalho de escrever e de reescrever. Anoto e anoto ideias em blocos, cadernetas, cadernos, e até no celular. Escolho uma delas e então me dedico o mais imerso possível, a explorar todas as suas possibilidades literárias. A experiência já me dotou também de uma certa intencionalidade imaginativa, o que me obriga a não só esperar pela inspiração, mas também a provocá-la. As fontes da inspiração estão no nosso mundo exterior e interior.

Livraria Espaço Cultural: Qual é o seu livro favorito e por quê?

Dilan Camargo: A única resposta que tenho para essa pergunta é dizer, com sinceridade, que o meu livro favorito é sempre o que estou escrevendo e, ainda mais, o próximo que vou escrever. Acho que é uma maneira de não provocar ciúmes entre os já publicados e de não acomodar a minha criatividade.

Livraria Espaço Cultural: Quais seus escritores favoritos?

Dilan Camargo: Pergunta difícil de responder. A leitura de vários escritores, em diferentes momentos da minha evolução literária, foi e é importante para o meu aperfeiçoamento. Mas Cecília Meireles continua a ser a minha referência, tanto em poesia para adultos quanto para crianças. Há autores que sempre releio, como Drummond, Fernando Pessoa, Machado de Assis. Leio, preferencialmente, autores de literatura portuguesa, espanhola e latino-americana, e alguns mexicanos como David Toscana. Leio, o mais que posso, autores e autoras contemporâneos aqui do Rio Grande do Sul. O livro que acabei de ler é uma edição de 2016 do “Senhor das Moscas”, de William Golding.

Livraria Espaço Cultural: Você encontrou dificuldades para ingressar na literatura? Quais foram?

Dilan Camargo: As de sempre. As principais dificuldades que um autor deve enfrentar e resolver, pois do contrário não se torna escritor, é com a sua própria formação literária. A principal delas é escrever uma obra literária de qualidade artística. Um bom livro sempre vai encontrar um editor, mesmo que tenha sido rejeitado por vários. Os casos de livros rejeitados por editoras e que depois se tornaram sucesso são exemplares. Todo escritor precisa escrever, escrever, escrever, e desenvolver capacidade de autocrítica.

Livraria Espaço Cultural: Qual a sua opinião sobre os e-books? O livro de papel ainda é valorizado?

Dilan Camargo: E-books são ótimos. São mais uma plataforma de leitura como são as páginas impressas de um livro de papel. Antigamente, escreveu-se sobre paredes de cavernas, argila, papiros, peles de animais, e hoje também se escreve e se lê numa tela de cristal líquido. O que importa, sempre, é a qualidade dos conteúdos. Interessante observar entre os jovens poetas, os que publicam em blogs, que o seu maior desejo é serem publicados em livros de papel. O livro impresso atualmente é mais valorizado do que os e-books e ainda vai conviver muito e muito conosco. Por isso, as livrarias também estão se reinventando como espaços de convivência cultural.

Livraria Espaço Cultural: Quais os projetos literários que você está trabalhando atualmente?

Dilan Camargo: Muitos. Uns em processo de revisão e outros ainda sendo escritos. Destaco alguns. Concluí um livro de poemas de amor para jovens com o título “Amor! Salvar Como?”, outro para a criançada “EsBrúxulas”, ainda outro de poemas para adultos “Pequenos Tangos”, uma novela juvenil em intertextualidade como Simões Lopes Neto “O feitiço da Teiniaguá”. E estou concluindo, por estes dias, “O gaúcho pequerrucho”, poeminhas com a nossa temática regional. E outros e outros, e mais alguns esboços.

Livraria Espaço Cultural: O que você pensa sobre a divulgação da literatura nas redes sociais?

Dilan Camargo: Importante. Com as redes sociais foi ampliado, de modo incalculável, o espaço de produção e de divulgação de conteúdos literários. Sites, blogs, o próprio Facebook, expandiram o acesso aos textos literários, às resenhas, à crítica literária, às entrevistas com escritores, enfim. Até mesmo os conteúdos sobre literatura publicados em jornais, revistas, livros, chegam às redes sociais. Entretanto, os leitores e frequentadores das redes devem estar atentos às fontes e às autorias desses conteúdos. É fundamental saber avaliar e reconhecer a credibilidade de cada uma delas.

Livraria Espaço Cultural: Como fazer com que crianças e adolescentes a leiam mais livros?

Dilan Camargo: O primeiro passo é dar o exemplo. Numa família em que há um leitor, o pai, a mãe, os avós, uma tia, está criado o ambiente para a formação de um novo leitor. As famílias tem o dever apresentar os livros para as crianças. E depois delas, a escola. Convivo com o ambiente escolar através de bate-papos em salas de aula, participação em feiras, encontros. Ainda não há uma sistemática de leitura diária e regular nas escolas, mas muitos programas de leitura são promovidos com visíveis progressos no gosto e na qualificação da leitura entre crianças e jovens. Há uma falsa crença de que os jovens não gostam de ler. Faltam bons mediadores de leitura, pais, professores, que transmitam, pelo exemplo, e por boas práticas, a importância da leitura no desenvolvimento humano.

Livraria Cultural: Como foi a experiência em ser patrono da Feira do Livro de Porto Alegre?

Dilan Camargo: Não canso de repetir que ser patrono é um presente que não se pede, não se espera, mas quando se ganha, é um tesouro humano que se guarda para sempre. Representou para mim uma oportunidade de poder reafirmar conceitos e valores em que acredito sobre a importância do livro e da leitura na formação humana. Repensei toda a minha trajetória, não só de escritor, mas de cidadão cultural, e me senti ainda mais responsável diante dos desafios da cultura, da arte e da educação em nosso país.

Livraria Espaço Cultural: Fique a vontade para fazer algum comentário para os nossos leitores.

Dilan Camargo: Sugiro que leiam livros, com as suas histórias e poemas. Neles corre o grande rio que nos liga à herança humana do passado e nos leva às promessas do futuro. Ler não é supérfluo, é uma necessidade intelectual e um valor social. Quem lê cria a própria história.