Novidades – Valter Hugo Mãe

Aproveitem para enriquecer seu saber… Chegaram as seguintes novidades na Espaço Cultural:

o nosso reino

Como define o próprio autor, “o nosso reino é o retrato de uma solidão espiritual a partir do vulnerável ponto de vista infantil”. Neste romance de estreia de Valter Hugo Mãe, o menino Benjamim, criatura de profunda candura, procura na manifestação divina uma saída para o desamparo em que vive. A história é ambientada numa aldeia portuguesa de pescadores, nos anos 1970, durante os momentos finais da ditadura salazarista. Em meio a uma convulsão histórica que mal parece afetar a vida da pequena aldeia, o protagonista de oito anos de idade procura alguma forma de transcendência ao tentar levar o que imagina ser a vida de um santo. “Um deus severo vigia essa aldeia habitada por meninos que querem ser santos, estranhos homens ausentes e mulheres de costas curvadas pelo peso da vida. Nessa aldeia sem nome, o menino Benjamim lembra, num presente interminável, a ruína da sua casa, arrasada sob o peso das chuvas e das lamas, das culpas e das ganâncias.”Maria Angélica Melendi “[…] toda a narrativa de Valter Hugo, neste livro, é subversiva, aparentemente natural mas, de fato, estranha. Posso até imaginar que tenha ele pretendido fingir que quem escreveu aquilo seria um menino de oito anos. A verdade, porém, é que, como o livro não foi escrito por um menino mas pelo autor adulto, resulta uma escrita altamente sofisticada, como um poema em prosa.”Ferreira Gullar

Contos de cães e maus lobos

Valter Hugo Mãe não escreve para crianças, e tampouco como uma delas – o autor afirma não saber se dirigir ao público infantil. Contudo, é no intervalo entre essas negativas que habita sua prosa, um convite poético para que voltemos a enxergar o mundo com a complexidade com que o enxergávamos na infância. É assim que Contos de cães e maus lobos, seu primeiro livro de contos, consegue a difícil tarefa de abraçar leitores das mais variadas idades em suas onze histórias. Em “O rapaz que habitava livros”, Valter afirma que livros “escolhem leitores e entregam mais a uns que a outros. Têm uma preferência. São inteligentes e reconhecem a inteligência”. A preferência de Contos de cães e maus lobos certamente é pelos leitores sensíveis, que conseguirão apreciar as sutilezas, a originalidade e a vertigem da escrita de seu autor. “Está nesses contos aquilo que está em toda a sua obra: o questionar das nossas certezas mais fundas, uma visita às profundezas da alma. A escrita de Valter sugere, a todo momento, que os outros somos nós mesmos. […] E é por isso que estes contos, mais do que gigantescos, não têm tamanho.”Mia Couto

As mais belas coisas do mundo

Publicado originalmente como parte de um volume de contos, esta narrativa sobre um menino e a memória de seu avô ganha edição especial pela Biblioteca Azul com arte de Nino Cais.“Um avô transforma a vida, mostra o encanto do conhecimento. Ensina que podemos chegara ser gigantes. Mas o saber não dispensa a ternura. E o menino descobre que o melhor lugar do mundo é dentro de um abraço.”Walcyr Carrasco “Apesar de ilustrado e com pouco texto, este não é um livro infantil. Mas as crianças o apreciarão muito, mesmo tendo sido escrito com um olhar adulto e memorialístico, em tom denso e cheio de abstrações. É que poesia não tem idade. E esse avô sábio dá saudades até em quem não foi seu neto.”Ana Maria Machado